Nerdoteca: Eu Não Sei Lidar - Lucas Silveira

20:39 Aline Santana 8 Comments

Olá gente, tudo bem com vocês?

Hoje eu vim aqui pra falar pra vocês que eu descobri uma coisa: assim como o Lucas Silveira, Eu Não Sei Lidar! Então, coloca os fones de ouvido, que essa resenha vem banhada de sons, sentimentos e pensamentos, da alma do Lucas, da minha alma, do meu coração, do lugar de onde sai os melhores sentimentos, as melhores lembranças e o grito que ecoa desde os meus 14 anos.

Vamos à sinopse?




Sinopse: À frente da banda Fresno há mais de quinze anos, Lucas Silveira conta sua trajetória pessoal e musical com um apanhado de memórias que vão da infância aos dias de hoje. Costurando uma colcha de retalhos, o músico parte de suas composições para revelar as histórias por trás das letras, a vida fora dos palcos e os dilemas que transformaram sua vida.
A incapacidade de lidar. Eis aqui, explícito logo no título do livro, um dos combustíveis mais poderosos para transformar a própria experiência em algo bem maior e mais universal que dramas pessoais ou segredos guardados dentro de um caderno esquecido em uma gaveta qualquer. Não saber lidar. Eis uma característica marcante de Lucas Silveira. Que talvez só não seja maior do que o seu desejo de compartilhar.
Em seu conjunto, este livro é uma espécie de farol, só que ao invés de marcar o ponto de chegada, é um farol concebido para iluminar o que ficou para trás. É por isso que ele revela não apenas “a história” escondida nos versos de cada canção, mas também o que liga cada uma delas e o que faz deste conjunto uma obra inteira, uma narrativa musicada de memórias fragmentadas.
Aqui, cada canção funciona como um pequeno ponto luminoso. A cada página, essa luz vai desvelando algo inesperado. Relatos do universo da música e sua trajetória profissional de repente se misturam com lembranças da vida pessoal, da infância, e desembocam em dilemas que geraram grandes histórias. E aos poucos é possível ver formar-se um caminho.




Lucas começa onde eu senti que minha adolescência começou, início de 2007, quando saí das escolas particulares pra uma escola pública pela primeira vez, eu me sentia a borboleta, liberta do casulo naquele momento, junto com as minhas, então, novas amigas (que ficaram pra trás juntamente com minha adolescência, mas, das quais me lembro com uma frequência razoável e que sempre que acontece, bate saudades), passeando pela cidade, pela primeira vez longe de supervisão adulta, quando, uma delas cantarolou algo que dizia "não chorar, não chorar", e ali fui então apresentada à Fresno.
Desde então, as amigas inseparáveis, os fones de ouvido tocando sempre a mesma banda, até que em um dia de chuva, o nosso trio se desfez, uma das minhas amigas teve de mudar de escola, o rolinho por quem eu achava estar apaixonada desfez o namoro, e no momento que eu me vi tão triste que nem sabia o que dizer, estive pela primeira vez, eu em contato com essa música. Ali a minha relação com a Fresno se estreitou, e quando eu ouvia novamente aquele "não chorar, não chorar" eu tinha certeza que ele era direcionado a mim, e, vi que o Lucas era "humano como todos nós", depois de ler e saber das experiências vividas, eu me vi novamente em 2007.



Cada música, um sentimento maior, uma história de um alguém, assim como a gente, que pode te fazer sorrir e chorar, sempre com a força de um tsunami, um manifesto escrito, isso é Eu Não Sei Lidar, isso é Lucas Silveira, e eu não poderia terminar um livro com tanto sentimento como esse sem tentar trazer pra você todo esse sentimento.

Ele falou comigo, ele tem esse dom de trazer as pessoas perto através de palavras, ele é quem pede pra "cantar pra você dormir e nunca mais acordar do sonho que eu fiz pra ti", e que não deixa à desejar quando se trata de falar de como surgiu tamanha emoção em cada verso, em cada enredo, e olhe, são muitos enredos.





Lucas guardou verdades, mas, e quem nunca "sempre quis caminhar olhando pro alto sem ter medo de tropeçar"? Até mesmo quem parece ser inabalável tem um ponto fraco, essa é a resposta, como, enfim o livro finda (mas, os pensamentos e sentimentos ficam).

O livro é bem escrito, tem uma leitura envolvente, principalmente pra quem é fã, só deixou a desejar em um aspecto, deveria ser maior.

Enfim, pessoal, é isso.
Espero ter conseguido trazer pra vocês o que eu senti.
Tem algum fã de Fresno aqui?
deixa teu comentário aqui em baixo.

Um abração!

ps: chega lá nas nossas redes! ;)
Facebook || Twitter || Instagram

8 comentários:

  1. Não sabia da existência da biografia do Lucas, mas gostei bastante da premissa e pela sua empolgação aposto que é uma leitura muito legal. Deu até vontade de ligar o mp3 e escutar a banda. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Também fui adolescente na mesma época que você, mas eu não suportava a maioria das bandas do cenário musical da época, sempre preferi os anos 80 e 90 para música. Enfim, tem uma música da Fresno que eu gosto, porém isso não me faria ler a biografia do vocalista da banda, mas para quem é fã como você, é maravilhoso conhecer melhor o artista favorito como eu pude fazê-lo ao ler Só Garotos da Patti Smith. =D
    Bjss

    ResponderExcluir
  4. Oi. Parece que o livro te causou fortes emoções, quando isso acontece comigo, acho mais difícil fazer a resenha, pois parece que as palavras que uso não são suficientes para expressar o que sinto. Acho que você passou bem o que sentiu com sua resenha, deu vontade de ler o livro.

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Amei sua resenha! Acredita que eu não sabia da existência dessa biografia? Assim como você, eu cresci e passei quase que minha adolescência inteira escutando Fresno, então amei as referências que você fez com as músicas ao longo da resenha. Fiquei morrendo de vontade de ler também.
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  6. Olá, parabéns pela resenha, ficou show!
    Eu não conhecia a obra e pelo que você apresentou aqui parece ser uma ótima pedida, já anotei a dica!

    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Apesar de gostar da banda, não me interessei muito pelo livro do Lucas. Mas na resenha deu para perceber como você gostou e se identificou com o livro, fico feliz por você.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Oiii Aline, tudo bem?
    Menina eu fiquei bastante interessada em realizar a leitura dessa obra, já fui uma grande fã desse cantor e ainda gosto de escutá-lo, dica super anotada.
    Beijinhos

    ResponderExcluir